Destaque

11 Out 2019

“Desculpa! — Uma História Sobre o Bullying” – debates e exibição a partir de 17 de Outubro

E se o seu filho fosse alvo de bullying, como reagiria?
Saiba que entre 31% e 40% dos adolescentes portugueses com idades entre os 11 os 15 anos confirmaram ter sido intimidados na escola uma vez em menos de dois meses. (Dados retirados de um estudo divulgado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância.)
 
Segundo dados da Health Behaviour in School Aged Children, 57% dos casos de agressão ou humilhação termina quando os colegas que assistem intervêm.
 
O bullying, com maior ou menor intensidade e gravidade, é uma realidade a que não podemos fugir e a que temos obrigação de dar resposta.
 
No âmbito do Dia Mundial de Combate ao Bullying (20 de Outubro) a Zero em Comportamento vai estrear este filme holandês, para que possamos discutir com profundidade quais as estratégias mais adequadas para prevenir e combater esta situação que, normalmente, tem raízes mais profundas do que apenas as que aparenta.

“Desculpa! — Uma História Sobre o Bullying” é muito mais do que um filme: é um alerta e um incentivo contra a normalização destas práticas.

O filme chega aos cinemas a 17 de outubro, e as sessões no Cinema City do Campo Pequeno serão acompanhadas de debates com diversos especialistas em bullying.

 
“Desculpa! — Uma História Sobre o Bullying” circulará por todo o país nos cinemas e em sessões especialmente pensadas para as escolas.
 
Sobre a Zero em Comportamento
A Zero em Comportamento trabalha há mais de 20 anos em cinema e desde há cerca de 5 anos que está especialmente vocacionada para o cinema enquanto ferramenta lúdicopedagógica para os mais novos. Desde finais de 2013 que se foca no público mais jovem e infantil.
 
Consciente da falta de oferta de cinema de qualidade para este público tão importante e ainda tão “moldável”, a Zero em Comportamento preocupa-se em disponibilizar filmes de qualidade artística mas que, ao mesmo tempo, apresentam um conteúdo de significativo valor educativo e que, portanto, são perfeitos para os educadores (pais e professores) abordarem questões fundamentais para o crescimento das crianças e jovens enquanto seres humanos conscientes e críticos do mundo em que vivemos.